Ferrorama: O Tremzinho da Estrela

Saulo Paiva

O Ferrorama original foi desenvolvido pela fabricante de brinquedos japonesa Takara Tomy sob o nome de Super Rail Black, que concedeu a Estrela os direitos de fabricação no Brasil, e esta passa a produzir o brinquedo em 1979.

Ferrorama original japonês - Super Rail Black

Super Rail Black – Ferrorama original japonês

O fascínio por trens estava presente no sangue de todos nós, as locomotivas a vapor representavam o progresso, a capacidade do homem de sobrepor obstáculos e tornar possível a existência de comunidades muito distantes, mas mantendo contato entre si.

No cinema, eram palco para aventuras de bang-bang; No dia-a-dia, nos fazia contemplar sua imponência ao atravessar as cidades, e nós, apenas podendo observá-las.

Quando lançado o Ferrorama, as crianças (e adultos também), tiveram a oportunidade de protagonizar suas histórias sobre vagões. Viramos projetistas de estrada, maquinistas e até simuladores de acidentes.

Comercial da década de 80 sobre o Ferrorama:

Em 1991 a Estrela fez uma nova promoção publicitária do Ferrorama com outro comercial:

Pela Estrela foi produzido em três séries:

Primeira geração do Ferrorama

Contempla as versões XP 100 a XP 600, foi lançada em 1979.

XP 100

O primeiro FerroramaXP 100, consistia em uma locomotiva a vapor, um tênder (vagão para combustível e água) e um vagão de carga. Os trilhos formavam um oval e tinha 2 postes e um sinaleiro sem escada, além de um comando de alavancas (presente em todos os modelos).

XP 200

Lançado em 1979, o XP 200, era maior que seu antecessor, tinha mais trilhos e um desvio curto. Possuía 3 postes além de um comando manual de marcha a ré. Tinha como novidade o vagão tanque. No lugar do sinaleiro sem escada, ele já vinha com o sinaleiro com escada.

XP 300

Lançado também em 1979, não era muito diferente do Ferrorama XP 200, porém vinham mais trilhos e formava um círculo com dois desvios a mais, além de 5 postes,1 comando manual de marcha a ré e os 2 sinaleiros (com escada e sem escada).


XP 400

Bastante popular e um dos mais vendidos, o Ferrorama XP 400 trouxe como novidade o vagão de passageiros. Possuía a mesma estrutura dos anteriores (sistema oval), mas com a rampa (ponte) e a cancela. Tem 4 sinaleiros (2 com escada e 2 sem escada).

XP 500

O Ferrorama XP 500 trouxe como novidade a locomotiva elétrica japonesa ED 75. Possui circuito diferenciado.

XP 600

No mesmo padrão do anterior, porém a locomotiva do XP 600 vinha com faróis. O circuito é diferente do XP 500, um pouco menor que o antecessor.

Segunda geração do Ferrorama

A segunda geração veio em 1984. Em todos os conjuntos desta série as locomotivas possuem faróis e sons de trens reais.

Os modelos da série 1000, possuem o mesmo circuito da versão anterior, com exceção do XP 1400, que tem o circuito diferente do XP 400.

XP 1100

XP 1200

XP 1300

XP 1400

XP 1500

Terceira geração do Ferrorama

A terceira geração dos ferroramas surgiu em 1987 com o modelo SL 2000.

SL 2000

Diferentemente da série anterior (em que os menores ferroramas eram cargueiros), o SL 2000 trazia o mesmo circuito do XP 200/XP 1200, mas um trem de passageiros no lugar de um cargueiro. As cores dos trens também foram alteradas.

SL 3000

As mudanças no circuito foram a maior novidade nesse modelo. O trem era o mesmo do XP 300 e XP 1300 porém com outras cores, mas o circuito era bem diferente. Possui 2 desvios ( um longo a direita e um duplo a esquerda)

SL 4000

Ao contrário da versão SL 2000, o Ferrorama SL 4000 foi o primeiro considerado grande e cargueiro. O XP400 e XP1400 são de passageiros. Possui uma pista ao estilo sistema em 8 (não é oval) mas com uma ponte maior e 2 trilhos passando por baixo (no XP 1400 passa apenas um). Ao contrario do XP 400/XP 1400, possui uma locomotiva elétrica no lugar da locomotiva a vapor, e um vagão com contêineres, a grande novidade do modelo, no lugar do vagão de passageiros. Possui 2 desvios, um longo a direita e um duplo a esquerda.

SL 5000

O modelo SL 5000 fecha a terceira geração dos ferroramas clássicos. É o maior ferrorama já fabricado pela Estrela, e também o mais procurado pelos fãs do brinquedo. Seu traçado é um oval duplo intercalado. Possui 2 trens, sendo um de passageiros e um cargueiro. Além da rampa, possui a ponte (a mesma do XP 500, XP 600 e XP 1500) na cor cinza. Possui um desvio longo a esquerda. O vagão de passageiros possui cores diferentes do modelo SL 2000.

Edição Especial Beto Carreiro

Em 1997 foi lançado uma edição especial do modelo SL 5000, o único ainda produzido até então, nascendo o modelo SL 5000 Beto Carreiro. Essa versão conta com vários cenários do circo do empresário Beto Carreiro. Pouco depois, a serie deixa de ser produzida.

O Ferrorama hoje em dia

Recentemente (pra quem é velho, 2010 é recentemente), a Estrela fez uma campanha para viabilizar a produção de uma nova edição do Ferrorama, essa campanha, intitulada “Volta Ferrorama”, foi originada em um grupo de entusiastas do brinquedo no, falecido, Orkut.

A campanha envolvia o desafio de percorrer os últimos 20 km do caminho à Catedral de Santiago de Compostela, na Espanha, com 110 metros de trilho do Ferrorama sem deixar o trenzinho parar.

Após a conclusão do desafio, a Estrela relançou o produto. Entretanto, as críticas vieram em seguida, com vários consumidores decepcionados, pois alegavam que a qualidade do produto relançado não se comparava ao brinquedo original, e a locomotiva e vagões eram maiores e mais infantilizados.

Após essa versão o produto foi relançado em suas versões XP 100 e XP 300, e trouxe novamente o ar de modelismo (recriação, em escala reduzida, de modelos reais) dos antigos.

Ferrorama XP 100
Ferrorama XP 100
Ferrorama XP 300
Ferrorama XP 300

Depois dessa viagem pelas ferrovias, dá até vontade de montar novamente o Ferrorama.

Author:
Destemido paleontólogo de Chocolate Surpresa, mestre Pokémon, sobrevivente aos programas de TV daquela época, tampa de dedo do pé arrancada, jogador de jokenpô no Master System e que zerou Super Mario às custas dos vizinhos.