Série The Lost Boys, baseada no filme Os Garotos Perdidos

Tárcio Zemel

Grande notícias para fãs de filmes dos anos 80 e, especialmente, para os também fãs de vampiros: The Lost Boys ou Os Garotos Perdidos vai virar série!

A série The Lost Boys (Os Garotos Perdidos)

Os Garotos Perdidos (The Lost Boys): cena do filme.

Cena do filme “Os Garotos Perdidos” (The Lost Boys), de 1987

A série será exibida pelo canal CW, nos EUA, e será encabeçada por Rob Thomas, criador de Veronica Mars e iZombie. A ideia é que a série dos Garotos Perdidos substitua The Vampire Diaries, que está no fim. Pelo visto, o CW realmente gosta de vampiros!

O planejamento da série é interessante: cada temporada vai se passar em uma época diferente, com tudo mudando, lugares, situações, pessoas, menos as personagens do grupo protagonista de vampiros — afinal, em teoria eles são imortais e não envelhecem nunca.

Se turo correr bem, a série terá 7 temporadas, cobrindo 70 anos no total — cada temporada, uma década diferente. Há rumores de que a primeira temporada se passará em 1967, em São Francisco, em homenagem à banda The Doors, que teve sua música People Are Strange eternizada no clássico Os Garotos Perdidos, que contava com Kiefer Sutherland e Corey Feldman no elenco.

Thomas disse que a série focará mais os vampiros ao invés de nos humanos — o oposto do que aconteceu no filme de 1987 — e que não vai trabalhar com aquele exato grupo clássico que todos conhecemos, mas mostrar vários pequenos grupos de vampiros em diferentes situações, podendo estes grupos até se esbarrarem uns com os outros.

Aqueles quatro mesmos caras podem existir no mundo que estou criando. Haverá alguns grupos de quatro, cinco vampiros que vagam juntos por aí, então, é possível que você se depare com um grupo como aquele — mas eu não trabalharei com aquele exato grupo. Eles precisam ter morrido nos anos 80.

Ainda segundo Rob, apesar do filme original ter apresentado vampiros como sádicos e cruéis, a série vai mostrar que vampiros “não são simplesmente caras ruins”… #medo

Síndrome de Peter Pan

Ainda segundo Rob Thomas, a primeira temporada terá como fundo a Síndrome de Peter Pan — também conhecida como “síndrome do homem que nunca cresce”, em que o doente apresenta comportamentos imaturos em aspectos comportamentais, psicológicos, sexuais e/ou sociais –:

A estória que estou tentando contar na primeira temporada é sobre 2 irmãos, como eles são tentados a cair no mundo dos vampiros e o quão tentados eles são a quererem ter 22 anos para sempre. Estou me apoiando na noção de Peter Pan, que se você se juntar a esses vampiros, nunca terá que crescer. Sua vida pode ser divertida, você pode ser imortal, o quão atraente é isso? Eu li um pouco sobre as intenções do escritor original, e definitivamente há algo a ser extraído dessa vontade de permanecer jovem e viver para sempre.

Pessoalmente, acredito ser um tema bastante importante a ser tratado na sociedade atual do “você pode ser o que quiser”, que não estimula as pessoas a terem responsabilidades e está cheia de quarentões vivendo na casa da mamãe e achando tudo normal…

De certa maneira, chega a ser surpreendente uma produção milionária como uma série de canal famoso abordar esse tipo de coisa.

Ficamos no aguardo da série The Lost Boys

The Lost Boys fez muito sucesso no mundo todo, inclusive no Brasil, como Os Garotos Perdidos. De alguns anos pra cá, nessa onda revival de filmes e séries que passavam naquela época, até que saíram boas adaptações/continuações — mas não foi unanimidade, claro.

Aguardemos com as melhores expectativas que a série The Lost Boys traga a “atmosfera” do filme original, com características e clima originais e roteiros para agradar não somente “adolescentes Crepúsculo”… Que Rob Thomas e todo o pessoal da CW também lembre da gente, os sobreviventes midiáticos dos anos 80!

Os Garotos Perdidos
Os Garotos Perdidos
Author:
Cria do interior de MG dos anos 80, desde sempre é interessado por videogames, desenhos animados, personagens, curiosidades e quase tudo do que hoje é conhecido como "Cultura Nerd/Geek". Já foi o melhor jogador de "Castlevania: Symphony of the Night" do Brasil.