Xou da Xuxa e o farto cobiçado café da manhã

Alanna Zemel

Quem nasceu nos anos 80, logo que ganhou um pouquinho mais de idade, tinha um hobby diário: acordar, ir para o sofá da sala e fazer maratona de desenhos animados. Com certeza o melhor momento dos dias de semana. E para quem estudava pela manhã, restava o sábado para colocar o hobby em prática. Em meados da década de 80, surgiu um programa na, até então, principal emissora de TV do país, a Rede Globo, chamado Xou da Xuxa, sendo este um dos grandes responsáveis por deixar marcado em nossas memórias essa experiência que só quem foi criança naquela época jamais vai esquecer a sensação!

O programa era apresentado pela maior animadora infantil da década, Xuxa Meneghel, e estreou em 30 de Junho de 1986, tendo 7 temporadas, com 2000 edições, encerrando sua transmissão na data de 31 de Dezembro de 1992. Xuxa “estourou” e ficou mundialmente famosa após apresentar seu “Xou” e virou um fenômeno que durou grande parte dos anos 90, tendo, inclusive, vários brinquedos e produtos que levaram sua marca.

Xuxa segurando seu famoso microfone.

Xuxa segurando seu clássico microfone, que virou um famoso brinquedo da época.

Entrou na grade programações da Rede Globo para substituir o programa Balão Mágico e mais tarde, no ano de 1993 foi reprisado em uma transição de programação da emissora que, em seguida, substituiu por outras reprises, as do Show do Mallandro, apresentado por Sérgio Mallandro. Logo após esse período, com o encerramento da atração, Xuxa passaria a apresentar um programa somente aos domingos, cedendo lugar, portanto, para outro grande e icônico programa da década de 90, o TV Colosso.

A atração contava, além de desenhos, com quadros com participação de auditório (como competições) e também, musicais com performance dos cantores e bandas em alta da época, além da própria apresentadora que cantava grande parte do seu repertório, já que gravou vários LPs de sucesso.

Histórico do Xou da Xuxa

Como entrou na grade da Rede Globo para substituir a atração anterior, o Xou da Xuxa herdou o público e o acervo de desenhos transmitidos em outrora, mas a estrutura básica do programa veio ainda de outro programa, exibido pela Rede Manchete, chamado Clube da Criança. Na nova emissora, foi totalmente remodelado, ganhando cenários bem acabados e atrativos para o público e personagens que integravam o corpo de ajudantes da apresentadora, já que as crianças ficavam ao redor da mesma no palco. Toda a atração era, basicamente, voltada para ressaltar a personalidade de Xuxa, que comunicava em uma linguagem bastante compreendida pelo público infantil e infantojuvenil.

Para comandar a atração, Xuxa contava com o auxílio de personagens que logo se tornariam marcas de seus programas, como as auxiliares Andréa Veiga e Andréa Faria, a “Sorvetão”, que evoluíram para o nome de Paquitas, o Dengue (Roberto Berttin) e o Praga (Armando Moraes). Eles ajudavam a apresentadora na organização e na animação do auditório. As Paquitas vestiam-se com roupas inspiradas em soldadinhos de chumbo, calçando botas brancas, enquanto o Dengue, um mosquito grandalhão e cheio de braços, vestia uma fantasia amarelo e vermelho, e o baixinho Praga, vestia-se de tartaruga.

Turma da Xuxa Completa e os Principais personagens

Paquitas

Paquitos

Moderninho

Dengue

Praga

Tomy

Xuxo

Frentinha

Vóvuxa

Madame

Caxuxá

Robuxo

Irmãs Metralha

Uma grande característica era o fato de o programa ser composto não só por uma plateia atrás das câmeras, mas pelas crianças que ficavam livres pelo cenário, sendo, inclusive, uma grande preocupação da produção, que pensou neste formato para deixá-las bem livres, como se estivem em um parque de diversões. Para preservar o clima de descontração na parte em que as crianças participavam dos quadros com brincadeiras, o mínimo de edição era realizado na finalização editorial do programa para transmitir a ideia de programa ao vivo.

Outra grande característica do Xou, eram as apresentações de Xuxa e suas danças originais e diferenciadas, encenadas pela apresentadora e suas paquitas. Esta parte era um convite ao público de casa, especialmente o feminino, para acompanhar as coreografias, todas criadas pelo bailarino uruguaio Oswald Berry.

Vários personagens interpretados por Xuxa permaneceram no ar ao longo da existência do programa. Entre os de maior repercussão estavam Vovuxa, uma simpática velhinha que adorava contar histórias e piadas; Madame Caxuxá, uma astróloga que transmitia mensagens sobre higiene e alimentação como se estivesse lendo o horóscopo do dia; Dra. Boluxa, médica que dava conselhos para as crianças de como agir no dia-a-dia em caso de resfriados e machucados; e Xoxum, sábio chinês que ensinava a transformar jornais e revistas em brinquedos. O Xuxerife também se juntava à turma do Xou da Xuxa para investigar denúncias feitas pelas crianças através de cartas.

O Programa foi dirigido por Marlene Mattos, e a coordenação de produção era de Nilton Gouveia, sendo inteiramente gravado no Teatro Fênix, no Rio de Janeiro.

Xou da Xuxa no exterior

O sucesso brasileiro do Xou da Xuxa e da apresentadora estendeu-se às crianças de outras nacionalidades. A partir de 1991, uma versão do programa em língua espanhola – El Show de Xuxa – era transmitida para 17 países da América Latina pela televisão argentina Telefe. Em 1992, Xuxa lançou o Xuxa Park, infantil apresentado pela Tele 5 espanhola. Um programa homônimo, Xuxa Park, seria lançado pela Rede Globo em 1996.

Em 1993, com um contrato assinado com a produtora norte-americana MTM Enterprises, Xuxa foi para os Estados Unidos. A versão americana de seu programa “Xuxa”, falada em inglês, foi lançada naquele país em setembro do mesmo ano. Com meia hora de duração, o infantil continha brincadeiras, números musicais e quadros educativos. O programa era transmitido diariamente por uma rede formada por cerca de 100 emissoras, que cobriam 85% do território norte-americano. Nessa época, a rede Univisión deixou de exibir El Show de Xuxa.

Desenhos Animados

Os desenhos eram as principais atrações e ocupavam a maior parte do tempo do programa, tendo uma lista exibida regularmente:

  • He-Man e os Defensores do Universo
  • Mickey & Donald
  • Rambo: A Força da Liberdade
  • Scooby-Doo
  • The Adventures of Teddy Ruxpin
  • Caverna do Dragão
  • She-Ra
  • As Tartarugas Ninjas
  • Smurfs
  • Snorks
  • Zé Colmeia
  • Manda-Chuva
  • Os Flintstones
  • Os Ursinhos Gummi
  • Peter Pan
  • Samurai Pizza Cats
  • Os Caça-Fantasmas
  • As Aventuras de Galaxy Rangers
  • G.I. Joe
  • Transformers
  • Meu Querido Pônei
  • Thundercats
  • Spiral Zone
  • Tiny Toon
  • Turma da Pesada
  • Família Dinossauros
  • Os Superamigos
  • Pernalonga e Seus Amigos
  • Popeye
  • Visionários – Os cavaleiros da luz mágica
  • As Aventuras de Nick e Neck (Mock & Sweet)
  • Alvin e os esquilos
  • Os Inumanóides
  • Denver, o Dinossauro
  • Alf
  • Robocop

Abertura do Xou da Xuxa

A abertura do programa ficou marcada pela música “Doce Mel” e, até hoje, quando a escutamos, ela nos remete diretamente às manhãs divertidas na companhia da Xuxa.

O começo do Xou da Xuxa era sempre uma hora gostosa. Além de sabermos que estaríamos concentrados durante os próximos minutos na tela da televisão, nos deleitando com os desenhos e quadros que vinham a seguir, para os fãs, a introdução era um show a parte.

Xuxa descia em uma nave rosa (futuramente foi remodelada ficando nas cores branco e rosa), cantando sempre alguma música do seu repertório, e, quando descia, passava no meio de crianças ensandecidas para tirarem uma casquinha da apresentadora. Uma curiosidade à parte da maioria do público era saber o que tinha dentro da nave. Por conta disso, chegaram a criar um cenário especial que era exibido raramente em alguns de seus quadros.

Xuxa chegando em sua nave especial no Xou da Xuxa.

Xuxa xegando xeia de graça em sua nave especial.

A apresentadora sempre abria o programa lendo cartas e mandando beijos para os aniversariantes que lhe enviavam as correspondências.

O tão sonhado café da manhã!

Algo realmente inovador para um programa de televisão infantil era ter um momento dedicado a apresentadora falar do quanto era importante as crianças se alimentarem corretamente, e, para estimular este comportamento, Xuxa sempre começava o programa oferecendo um café recheado de frutas, sucos, pães, bolos, biscoitos, tortas, enfim, para alguma criança que ela mesma escolhia em meio à sua plateia infantil que ficava no palco.

Além de em casa ficarmos babando em todos aqueles quitutes cinematográficos, batia aquela vontade de estar lá só para poder curtir aquele momento ao lado da nossa ídolo “mór” de infância. Vale lembrar que, naquela época, comidas “simples” eram consideradas diferenciadas, já que não tínhamos a variedade de lanches e guloseimas de hoje.

Xuxa tinha uma música especial para este trecho do programa: “Quem qué pão?” e logo depois de servir o(a) seu(sua) escolhido(a), a animadora pedia aos seus garçons que levassem as bandejas à grande plateia composta por adultos para que pudessem, também, se deliciarem com os comes e bebes mais lindos da TV.

Quando tocava a musiquinha, era a hora que batia a fome…


O último Xou da Xuxa

E foi no dia 31 de dezembro de 1992 que foi ao ar o último Xou da Xuxa… A platéia, os assistentes, toda equipe e a própria Xuxa se emocionaram muito na despedida final de um dos mais icônicos programas infantis da TV brasileira. Não deu para segurar a emoção!

Prêmios

Em seu sucesso no Brasil e exterior, Xuxa foi convidada em 1990 pela Academia de Artes & Ciências Televisivas dos Estados Unidos para entregar o prêmio Emmy na categoria de melhor programa infantil e fazer uma performance de um de suas canções durante a festa de premiação.

De 1987 a 1993, o Xou da Xuxa foi premiado pelo Troféu Imprensa na categoria de Melhor Programa Infantil.

Gafes & Memes

Atualmente, várias gafes da Xuxa no Xou da Xuxa ficaram famosas e viraram “memes” na internet. Para mim, a gafe mais engraçada e nonsense de todas é a “Vai, gorda!”.

Author:
Aquela que tinha joelhos encardidos de tanto brincar no chão da rua, mania de dançar e fazer shows particulares ao som dos LPs da Xuxa e Daniela Mercury. Comandante da gangue, ditava quais eram as brincadeiras, mas no fundo sempre foi meiga e dormia com seu paninho de estimação.